Novo marco legal das startups impulsiona setor e cria investidor-anjo

A sanção do projeto de lei que institui o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador vai estimular a criação de empresas inovadoras e cria a figura do investidor-anjo. As startups poderão ter investidores pessoas físicas ou jurídicas, resultando ou não em participação no capital social da startup.

O investidor-anjo não será considerado sócio e nem terá qualquer direito à gerência ou a voto nas ações da administração, mas será remunerado por seus aportes.

Em parceria com o Sebrae, CDL incentiva a criação e o crescimento de startups, foto Facebook


A novidade foi celebrada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), que é pioneira no fomento à criação e o crescimento das startups. Desde 2016, em parceria com o Sebrae Minas, a entidade realiza o programa Varejo Inteligente Conecta. Por meio dele, mapeia e prioriza os principais desafios de micro e pequenos empresários. Além de capacitá-los em metodologias de inovação, os conecta a soluções desenvolvidas pelas startups.


Ambiente experimental


O novo marco também cria um “ambiente regulatório experimental”, que funciona como um regime diferenciado onde a empresa poderá lançar novos produtos e serviços experimentais. Com menor burocracia e mais flexibilidade em seu modelo. “Assim como este projeto de lei, iniciativas como o Varejo Inteligente auxiliam no desenvolvimento e na viabilização de novos negócios para que as startups se desenvolvam e reconheçam Belo Horizonte como uma das principais capitais para se empreender", apontou o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.


Desde a primeira edição do Varejo Inteligente, 115 startups foram beneficiadas e mais de 70 empresas conectaram seus negócios ao empreendedorismo. Em 2021, a previsão é que o programa receba 50 micros e pequenas empresas diretamente impactadas pela pandemia. O projeto terá duração de seis meses, é gratuito e aberto a associados e não associados da entidade.


Dia dos Namorados


Para 51,8% dos comerciantes, a comemoração vai impulsionar compras e a expectativa é que o 12 de junho injete R$ 2,08 bilhões na economia da capital mineira. Os números são de pesquisa realizada pela CDL/BH, entre os dias 4 e 17 de maio.


“Ao comparar a expectativa de vendas do Dia dos Namorados frente ao Dia das Mães, observamos um maior otimismo com o desempenho das vendas neste mês de junho e isso se deve ao fato do município ter recuado da onda roxa para a onda vermelha. Pois, essa fase permite o funcionamento de todos os comércios e serviços, desde que respeitem as regras de distanciamento e as normas de higienização”, analisou Marcelo de Souza e Silva.


(*) Com informações da Ascom/CDL

pecas_ead_blog_do_orion ouyt 21.png
MAIS LIDOS
RECENTES