Moro vai se lançar a presidente, mas quer mesmo o Senado

Apontado na pesquisa do instituto mineiro Quaest como novidade da 3ª via, o ex-ministro de Bolsonaro e ex-juiz federal Sérgio Moro vai se lançar pré-candidato a presidente nos próximos dias. Nessa pesquisa, o ex-presidente Lula (PT) vence em todos os cenários e, em um segundo turno, bateria Moro (sem partido), que chegaria a 26%. Esse seria um dos melhores desempenhos dos rivais de Lula na terceira via presidencial, fora da polarização com Bolsonaro.

Ex-ministro de Bolsonaro Sérgio Moro está inseguro para enfrentar o petista Lula da Silva, foto Marcos Correa/PR


Ainda assim, Sérgio Moro está reavaliando seu futuro político, pois, no momento, está buscando mais proteção do que riscos. Por isso, quer mesmo disputar o Senado, onde teria eleição mais fácil e teria oito anos de estabilidade. Quer então aproveitar a mídia espontânea que terá com o lançamento de seu livro sobre a Lava Jato e sua visão do governo Bolsonaro e a candidatura a presidente. Depois dessa onda, deverá reavaliar e negociar com algum partido a filiação para disputar vaga de senador, provavelmente, pelo Paraná, seu estado.


Motivos para a hesitação


Arrependido de ter deixado a magistratura, para se aventurar na política, Moro teme ser perseguido por Bolsonaro ao entrar na disputa presidencial. Além do que, o desempenho positivo de Lula nas pesquisas traz riscos de derrotas e de exposição e contraponto à sua atuação como juiz parcial. Sua parcialidade foi constatada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo no qual condenou Lula à prisão.


Além disso, Moro teria um teto na disputa eleitoral. Caso seja bem-sucedido e passe para um eventual segundo turno contra Lula, não teria para onde crescer. Por quê? Porque o eleitorado bolsonarista dificilmente votaria nele, muito menos em Lula. Ou seja, engrossaria os votos nulos. Essa também seria uma das razões para que o petista considere Moro como o melhor adversário que poderia ter, caso vá para o segundo turno, como apontam as pesquisas.


Cenários da pesquisa


A pesquisa Quaest/Genial foi divulgada na terça (5) depois de ouvir 2.048 pessoas entre 30 de setembro e 3 de outubro. As intenções de voto em Lula variam entre 43% e 46% no 1º turno – no 2º, o ex-presidente superar venceria qualquer adversário. O petista teria 45%, seguido por Jair Bolsonaro, com 26%. Ciro Gomes marca 11%.


No 2º turno, Lula venceria Bolsonaro (53% a 29%), Ciro (49% a 26%), Sergio Moro (52% a 26%), Luiza Trajano (54% a 17%), João Doria (54% a 16%), Eduardo Leite (55% a 15%) e Rodrigo Pacheco (56% a 14%). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.


LEIA MAIS: Será que Bolsonaro precisaria de Moro novamente para vencer Lula?


pecas_ead_blog_do_orion ouyt 21.png
MAIS LIDOS
RECENTES
banner amm 15 de junho 2020.png