top of page

Pesquisas confirmam: prefeito bem avaliado deverá ser reeleito

As duas últimas eleições premiaram a autointitulada “nova” contra a “velha politica”, mas, na atual sucessão municipal deste ano, a regra que está valendo é outra: prefeito bem avaliado deverá ser reeleito. A avaliação é do diretor do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, ao explicar o sucesso eleitoral de prefeitos candidatos à reeleição, como o de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD).


A confirmação foi feita durante o programa Entrevista Coletiva, da TV Band Minas nesse sábado (24). O prefeito de BH tem a maior aprovação entre outros das capitais nas pesquisas feitas por vários institutos e, por isso, está com a maior intenção de votos nesta campanha eleitoral.

Kalil, Covas e Crivella disputam a reeleição, fotos Ascom PBH e Facebook


De acordo com Hidalgo, a candidatura de Kalil e sua gestão vêm crescendo a cada pesquisa e que, se as eleições fossem hoje, ele estaria reeleito em primeiro turno. Na última sondagem, feita entre os dias 20 e 23 de outubro, Kalil obteve 59,5% das intenções de voto na estimulada. Na avaliação da gestão, a mesma pesquisa aponta que a dele tem 61,1% de aprovação (ótimo, 17,1%, e boa, 44,0%). A pesquisa está registrada no TSE sob nº MG 05471/2020.


Avaliação positiva crescente


Em março deste ano, início da pandemia da Covid-19, a administração alcançou 58,1%; depois, 58,4% em julho. Os índices de gestão são semelhantes aos da candidatura do prefeito. Pelo Datafolha (20 e 21 de outubro), a administração do prefeito chegou a 70% na soma de ótimo e bom. Na mesma pesquisa, sua candidatura cresceu de 56% para 60% das intenções de voto. O Datafolha ouviu 868 eleitores de BH. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MG-02866/2020.


A situação favorece outros prefeitos bem avaliados, como o paulistano Bruno Covas (PSDB) e ex-prefeitos que tiveram aprovação, como Marília Campos (PT), em Contagem, Eduardo Paes (DEM), no Rio de Janeiro, entre outros. Na outra ponta, a tese também se confirma. O atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), está em 2º lugar, com 12%, e sua rejeição é de 62%, segundo Datafolha de 9 de outubro.


Pandemia também favorece


Nesse sentido, a pandemia favoreceu os atuais prefeitos em dois quesitos. No primeiro, para aquele que exibiu esforços no combate ao avanço da doença. No segundo, por meio da desmobilização do eleitorado e nas limitações de uma campanha eleitoral que impede reuniões, aglomerações e circulação dos candidatos, além da falta de debates. Em outras palavras, não há campanha na rua ainda.



Comments


para junho 24.png
MAIS LIDOS
IPTU NOVA LIMA JUNHO 24.png
NOVO BANNER FEV 23A.jpg
banner affemg e sindifisco contra rrf.png
RECENTES
ARQUIVO
bottom of page