Kalil ganha enquanto Zema e Bolsonaro saem derrotados nas eleições

O que estará em julgamento nas eleições de domingo (15) é, em primeiro lugar, a gestão do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do PSD. Se estiver realmente aprovada como apontam todas as pesquisas, ela deverá ter continuidade. Mas não será apenas a gestão do prefeito que estará em avaliação. Também a do governador Romeu Zema (Novo) e a do presidente Bolsonaro (sem partido).


Esses dois têm candidatos nessa disputa, diretos e indiretos, aliás mais de um dentro de seus campos políticos. Um participou mais do que o outro. Seja como for, o resultado será uma prévia para 2022, das futuras eleições estaduais e presidenciais.

Kalil enfrenta os aliados de Zema e Bolsonaro no domingo, montagem de fotos da PBH e Imprensa MG, Pedro Gontijo


Mau começo para o governador e presidente


Os possíveis resultados representarão um mau começo para Bolsonaro e Zema, que, tudo indica, sairão derrotados em Belo Horizonte, em Minas e em outros estados brasileiros. É o caráter plebiscitário das eleições, que aponta se o eleitor, o cidadão está aprovando ou não os rumos das atuais gestões.


Outro que sairá derrota nas eleições municipais é o empresariado. Eles investiram em três candidaturas a prefeito e nenhuma delas prosperou. A iniciativa veio do rompimento do setor com o prefeito Kalil durante a votação do Plano Diretor na Câmara Municipal. A nova lei estabeleceu critérios mais rígidos e limites para a construção civil. A relação azedou de vez na pandemia diante das medidas adotados pelo prefeito para fechar a economia e evitar a disseminação da Covid-19.


Pesquisa incontestável


Na falta de novidades na campanha eleitoral, vem aí uma pesquisa para revelar as verdadeiras intenções de voto do belo-horizontino. É aquela que será divulgada no próximo domingo, dia 15, domingo próximo. A partir das 19 horas, saberemos, ou confirmaremos, os resultados de 35 dias de campanha, ou a falta dela e de debates. E mais, principalmente, da falta de interesse e de motivação do eleitor. Tudo somado, sobre o que foram os últimos quatro anos dentro da prefeitura e fora dela, na situação e na oposição.


Essa pesquisa será incontestável, porque virá da soberania das urnas. Não será contestada na Justiça Eleitoral nem ignorada como fazem os presidentes norte-americano e o brasileiro perante os resultados eleitorais dos EUA.


Sem alternativas e medo da Covid


Tudo indica que o eleitor não viu alternativas na campanha e decidiu, até por conta da pandemia, que não irá votar duas vezes em BH nem se expor a riscos de contágio da Covid-19. Ainda assim, há riscos de alta abstenção apesar da importância que o voto tem para a vida das pessoas e da cidade.


Em função desse reconhecimento, a maioria dará seu voto de confiança na democracia e no voto que decidirá e influenciará os rumos da capital nos próximos 4 anos.


Campanha com foco nos jovens


Para evitar riscos de alta abstenção, será realizada, nesta quinta (12), às 18 horas, mais uma live com o tema “Jovens e as eleições”. A proposta é discutir a presença da juventude nas eleições, com trocas de opiniões sobre o voto enquanto ferramenta de transformação social.


O objetivo das palestras é abordar as competências municipais; o papel do voto para a promoção do desenvolvimento local; a importância do voto para vereador; e a cidade como um espaço mais acessível para uma atuação mais cidadã. Além disso, discutir a política como lugar da atitude que ultrapassa o voto, passando também pelo envolvimento em organizações que tratam do interesse coletivo e pelo monitoramento dos eleitos.


Essa live faz parte de um conjunto de palestras promovidas pela Assembleia Legislativa de Minas em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral de Minas na campanha ‘Seu Voto Importa’.


TRE e TCMG fiscalizarão gastos dos candidatos


O Tribunal Regional Eleitoral de Minas (TRE) assinou, no dia 4, termo de cooperação com o Tribunal de Contas do Estado (TCMG) para fiscalizar as contas de candidatos nas eleições. Pelo acordo, o TRE vai usar o sistema Suricato, que é o Centro de Integração da Fiscalização e de Gestão de Informações Estratégicas do TCMG. A ferramenta permite acesso em tempo real à base de notas fiscais eletrônicas do estado e o seu cruzamento com outras. Os dados obtidos permitirão identificar com precisão indícios de irregularidades nas despesas de candidatos e partidos. Ficarão de olho em valores acima daqueles praticados no mercado para aquisição de algum bem ou contratação de serviços.


LEIA MAIS: Com Kalil reeleito, prefeito de BH poderá ser Fuad Noman por 2 anos



blog_orion.jpg
MAIS LIDOS
RECENTES