Novo marketing do Novo: Zema vira opositor do próprio governo

Em um dos últimos vídeos que postou, o governador Romeu Zema (Novo) aparece em um galpão (não citou o nome) para denunciar “produtos do Estado ali parados há mais de 10 anos”. Enquanto circula pelo espaço, Zema vai exibindo computadores, monitores, televisores, móveis entre outros encaixotados, segundo ele, alguns, desde 2011.


Se os governos anteriores (PSDB, de 2003/2014, e do PT de 2015/2018) falharam e mostraram descompromisso, o governo Zema é conivente ao manter a prática. Como os outros, deixou os mesmos equipamentos abandonados nestes três primeiros anos e meio de gestão. Ainda assim, Zema fez a divulgação em tom de denúncia como se estivesse no primeiro dia de gestão e se não fosse ele o próprio governador, mas um candidato, que, no caso dele, será de reeleição. (Leia abaixo nota do governo).

Zema assume postura de candidato e critica o próprio governo, foto Gil Leonardi/ImprensaMG


“Estou aqui num galpão conferindo coisa mal feita. Mais de cinco mil produtos, alguns estão parados aqui há mais de 10 anos. Um exemplo aqui ó, sala de telepresença. Fiz questão de solicitar a nota fiscal. Emissão: maio de 2013, valor de R$ 4.650.000,00. Um verdadeiro absurdo, um desrespeito com o povo mineiro, nunca foi utilizado. O que nós temos aqui nesse pallet?”, perguntou ele ao apontar outro palete e ele mesmo mostra. Abre uma das caixas e exibe computadores novinhos. “Um dos muitos que estão aqui”.


Maioria dos equipamentos é para escolas


Em outro, descobre monitores e televisores. “Novos, muitos pallets com televisores novos”, disse. Noutra caixa, tira mais computadores e apresenta a nota fiscal da aquisição em junho de 2017 pelo valor de R$ 2.037.000,00. Além de equipamentos, encontra móveis, várias cadeiras plásticas empoeiradas. Veja o vídeo abaixo.

Zema faz inspeção em galpões de seu governo


“Poeira de anos aqui, um centímetro de poeira. Isso é que dá não fazer as coisas corretamente. Isso tudo estava travado aqui e, desde o primeiro dia do meu governo, nós temos trabalhado e, finalmente, conseguimos. O destino desses produtos, quase todos eles vão para a educação, para as escolas dos mineiros, porque acredito que a independência vem da educação e do conhecimento. Um povo educado, um povo com mais conhecimento é um povo que não vai mais tolerar esse tipo de coisa mais”, apostou Zema.


O vídeo se encerra com informação de que “respeitando o distanciamento das medidas de segurança, todas as atividades da empresa de logística (não dá o nome) foram paralisadas para a gravação. Durante a mesma, o governador se apresentou sem máscaras.


A iniciativa do marketing de Zema reforça o apelo eleitoral já que o governador é candidato à reeleição no ano que vem. O modelo é semelhante ao do então candidato a presidente em 1989, Fernando Collor de Melo (PRN). Ele fazia denúncias semelhantes durante incertas em galpões de grãos do governo federal. A diferença é que Collor não era governo e estava na oposição ao governo Sarney (85/89). Foi eleito, mas dois anos depois sofre impeachment em 92 por denúncias de corrupção.


Leia manifestação do governo


O governo mineiro, por meio do Núcleo de Atendimento à Imprensa, divulgou a seguinte nota. “Os equipamentos de informática citados no vídeo, como computadores, monitores e televisores, pertenciam à Rede Uaitec — Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais, projeto coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), mas não tiveram destinação finalizada na gestão anterior. Na atual gestão do governador Romeu Zema, após mapeamento das necessidades em diversos órgãos do Estado, os equipamentos foram doados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), com apoio Sede, para diversos órgãos estatais, sendo a maior parte destinada à Secretaria de Estado de Educação (SEE). Ao todo, são 4.313 itens em processo de doação, sendo que 2.132 deles já foram entregues aos destinatários, e o restante está em fase de tramitação processual com previsão de entrega até o fim do ano”.


LEIA MAIS: Zema troca “intrigas palacianas” e assume bolsonarismo para 2022





pecas_ead_blog_do_orion ouyt 21.png
MAIS LIDOS
RECENTES