CDL liga agravamento da Covid à desativação de leitos pela Prefeitura de BH

Com receio do agravamento da doença, que leve a novo fechamento do comércio, a CDL/BH solicitou a reativação de leitos da Covid-19 na capital mineira. O ofício foi enviado à Prefeitura de BH, no dia 26 passado, reforçando pedido feito no início de fevereiro.


“O terceiro fechamento, ocorrido no início do mês de janeiro, foi provocado pela desativação de leitos para tratamento da Covid-19, o que, logicamente, aumentou os índices de ocupação. Na semana passada foram desativados 20 leitos de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19. Solicitamos que esses leitos retornem para o tratamento exclusivo da doença”, advertiu o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de BH, Marcelo de Souza e Silva. Com relação aos de enfermaria, 20 leitos exclusivos também foram desativados.

Leitos hospitalares são a nova controvérsia entre a Prefeitura de BH e o setor de comércio, foto Everton Lemos/Agência Minas


Segundo ele, Belo Horizonte chegou a ter, somente na rede SUS, 424 leitos de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19 em agosto último. Em janeiro passado, quando foi anunciada a nova reabertura do comércio, caiu para 303. Na semana passada, nos boletins da PBH, esse número foi reduzido para 283. E o índice de ocupação de leitos de UTI foi o que apresentou a maior alta nos últimos sete dias, mesmo com número de pacientes internados menor que na semana anterior.


Passou de 62,9% no dia 18 de fevereiro, para 69,7% no boletim divulgado na quinta-feira (25). “É importante esclarecer para toda a população que, quando a gente pede a reabertura de leitos, não estamos pensando apenas na reabertura do comércio. Estamos pensando, em 1º lugar, na saúde da população. Precisamos reativar esses leitos e, se possível, já preparar a ampliação, uma vez que o cenário ainda é muito imprevisível”, reafirmou o presidente da CDL/BH.


PBH diz que adotou critérios técnicos


Em nota, a Prefeitura da capital informou que, no dia 18 de fevereiro, remanejou 20 leitos Covid da Rede SUS-BH para leitos não-Covid (retaguarda). A operação foi realizada, segundo a prefeitura, baseada em critérios técnicos e nas demandas atuais. “Os indicadores assistenciais e epidemiológicos da covid-19 estão em constante monitoramento pela Prefeitura e caso seja necessário estes leitos podem ser reconvertidos”.


A CDL solicitou também reforço da fiscalização por parte da Prefeitura e da Polícia Militar no sentido de coibir aglomerações. Souza e Silva lembrou ainda que, há 15 dias, a CDL/BH está promovendo nova campanha educativa junto à população com foco em dois temas básicos: uso de máscara e sem aglomerações.


LEIA MAIS: Falta de vacinação e interrupção de auxílio derrubam confiança do consumidor

pecas_ead_blog_do_orion ouyt 21.png
MAIS LIDOS
RECENTES