consultoria_lgpd_blogs_agosto_2022_Blog_Orion.png

Antes do governo mineiro, candidatos disputam apoio do União Brasil

Duas curiosidades envolvem todos candidatos e pré-candidatos a governador de Minas. Deixaram espaços abertos em suas chapas para atrair outros partidos, buscando, claro, mais apoio político. E, com isso, vem junto o financiamento de campanha e, principalmente, tempo na TV e rádio para a futura propaganda eleitoral gratuita a partir do dia 20 de agosto.

Zema participa da convenção de seu partido, foto Divulgação/Novo


A segunda curiosidade é que todos estão disputando o apoio de um mesmo partido, o União brasil. Sozinha, essa legenda reúne essas três condições de um perfeito aliado: aumenta o apoio político, tem muito dinheiro para a campanha e tempo na TV e no rádio. Por isso, o União Brasil virou a noiva da vez na campanha.

André Quintão, Kalil, Silveira e aliados na convenção do PSD, foto Leonardo Couri


Chapa de Zema está aberta


No sábado (23), o partido Novo, do governador Romeu Zema, confirmou a candidatura de reeleição dele, tendo como vice o ex-secretário Mateus Simões, numa chapa puro-sangue. No entanto, deixou a porta aberta para trocar Simões pelo jornalista Eduardo Costa, do Cidadania.


Para isso, precisa contar com o aval do PSDB, que tem pré-candidato a governador, desde que os tucanos mudem de ideia e aceitem apoiar Zema. O PSDB está federado ao Cidadania, o que os obriga a tomar decisão única, e quer o União Brasil como vice na chapa majoritária.


No Senado, a convenção de Zema confirmou o deputado federal Marcelo Aro para a vaga de senador, trazendo para sua aliança o partido dele, o Partido Progressista. Da mesma forma, está flertando com o União Brasil, oferecendo em troca uma suplência ao Senado.


Outras indefinições


O PSDB fará sua convenção no dia 5 de agosto ainda e poderá confirmar a candidatura de Marcus Pestana ao governo, fechando as portas para a aliança com Zema. O senador Carlos Viana (PL) ainda aguarda o sim do Bolsonaro para virar candidato a governador até o dia 15 de agosto.


No domingo (24), foi a vez da convenção do PSD de Alexandre Kalil, confirmando sua candidatura a governador, a de seu vice, André Quintão do PT. Para senador, homologou o nome do presidente do partido, Alexandre Silveira, para buscar a reeleição ao cargo. Para atrair o União Brasil, tem duas vagas de suplente de senador.


Primeiro de registro de candidaturas


Na terça-feira (26), foram entregues à Justiça Eleitoral mineira os primeiros pedidos de registro de candidatura do estado para as eleições deste ano. Foram apresentados pelo partido Patriota 53 pedidos de registro ao cargo de deputado federal. As candidatas e candidatos foram escolhidos em convenção realizada no dia 20 de julho.


O prazo para realização das convenções partidárias vai até o dia 5 de agosto. A partir da realização da convenção já pode ser apresentado o pedido de registro das candidaturas perante a Justiça Eleitoral. O prazo para apresentação dos pedidos se encerra no dia 15 de agosto.


Datas do calendário eleitoral


Convenções partidárias: 20 de julho a 5 de agosto


Início oficial da campanha: 16 de agosto


Propaganda eleitoral no rádio e na TV: 26 de agosto a 29 de setembro


Primeiro turno: 2 de outubro


Segundo turno: 30 de outubro


LEIA MAIS: Mais de 80% não escolheram nem sabem em quem votar para deputado



MAIS LIDOS
diamantina2.png
banner affemg e sindifisco contra rrf.png
RECENTES