Bipolaridade em torno de Zema é combustível de sua instabilidade

06.04.2020

O governador Romeu Zema (Novo) se esforça para se sair bem, vai a Assembleia Legislativa, elogia deputados estaduais, mas aí aparece o espírito partidário e o embaraça no mesmo dia. Após o desgaste com o fracasso de duas experiências anteriores, os deputados ainda guardam desconfiança com a nova equipe que faz a coordenação política e de gestão. Circulou nos grupos dos deputados uma postagem crítica a eles em rede social atribuída a Cristiana Renault, que é casada com o novo secretário geral do governo, Mateus Simões (Novo).

Mateus Simões e Romeu Zema durante agenda na Assembleia Legislativa, foto Gil Leonardi/Imprensa MG

 

Irmã de funcionária da Assembleia, sobrinha de ex-deputado estadual e militante do Novo, Cristiana criticou o número de assessores por deputado estadual. “Uma enfermeira para 20 pacientes, 50 assessores para 1 deputado! Se deram conta qual é a pandemia?”, teria postado ela. E ainda emendou: “Menos os deputados do Novo, é claro…”.

 

Conflito com o que chamam “velha política”
 

A manifestação dela reproduz as trombadas dos três deputados do Novo com a maioria dos outros 74 parlamentares de vários partidos. Eles se dizem da renovação contra o que chamam de “velha política”. Além de contestar o número de assessores divulgados, os deputados vincularam a crítica dela ao próprio governo, renovando a desconfiança.

 

Sobre o assunto, Mateus Simões, que também funcionário licenciado da Assembleia, disse não compartilhar da manifestação da esposa e que nem a teria visto. Ressalvou que ela tem visão própria e age de maneira independente da sua. Seja como for, como disseram no meio, estaria atrapalhando a nova missão do marido em momento delicado. O próprio Mateus duvidou que existam tantos assessores por deputado como ela disse. “Tenho boa relação com os deputados, mas não sou responsável pela relação com a Assembleia. Sou secretário da porta para dentro do governo”, observou.

 

Para alguns deputados, o problema do governo não foram os secretários anteriores da coordenação política, Custódio Mattos (PSDB) e Bilac Pinto (DEM). “O problema é da comunicação mesmo. Querem adotar as mesmas estratégias e esperar resultado diferente. Isso não é possível”.

 

Simões vira supersecretário
 

Simões não é o responsável direto pela relação política, mas atuará como conselheiro por ter mais experiência na área. Foi vereador de Belo Horizonte, até o mês passado, quando renunciou para a nova missão. No governo, ganhou poderes extras e irá presidir o Comitê de Orçamento e Finanças (Cofin), assumindo lugar que antes era do secretário de Planejamento, Otto Levy. Junto com o secretário da Fazenda, Gustavo Barbosa, que detém a chave do cofre, irá definir o que deve ou não ser pago.

 

Além disso, terá o controle sobre a comunicação do governo. Está montando comitê ampliado para cuidar da área e terá a consultoria do especialista em marketing político, Paulo Vasconcelos. O publicitário exerceu atuação semelhante nos governos tucanos Aécio e Anastasia e dos irmãos petistas, Jorge e Tião Viana, no governo acriano.

 

Ao contrário de sua eleição, Zema tem que se desvincular do caso perdido Bolsonaro

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

MAIS LIDOS

Anastasia descarta assumir vaga em Ministério

15.03.2017

1/4
Please reload

RECENTES
Please reload

ARQUIVO
Please reload

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo