"Traidor da Constituição é traidor da Pátria”, advertiu Ulysses Guimarães

A histórica frase foi dita pelo então presidente da Câmara dos Deputados, Ulysses Guimarães, quando promulgou a Carta Magna, em 88. Vídeo (veja abaixo) com a célebre manifestação está circulando pelas redes sociais no momento que grupos de extrema direita atentam contra a democracia. Aliados do governo Bolsonaro estão convocando ato público para o dia 15 de março pelo qual pedem até o fechamento do Congresso.

“Conhecemos o caminho maldito. Rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio e o cemitério”, completou Ulysses Guimarães.

Ulysses exibe a Carta Magna, que, hoje, vive riscos, foto Arquivo Agência Brasil

No histórico discurso, ele reconheceu que o texto constitucional não era perfeito, razão pela qual era e ainda é possível a atualização ou revisão por emendas. Hoje, são mais de 100 emendas constitucionais; a última foi a que reformou a Previdência oficial.

Bolsonaro recua de incentivos à manifestação

Durante toda essa quarta-feira (26), parlamentares bolsonaristas estimularam a mobilização contra o Congresso Nacional. A oposição criticou duramente. O presidente do STF, Dias Toffoli, reprovou as manifestações contrárias à democracia e à Constituição.

O presidente Bolsonaro recuou de incentivar a manifestação depois da repercussão negativa pelo fato de ter compartilhado vídeo sobre o evento. Auxiliares têm defendido que Bolsonaro entre em contato com os presidentes do Congresso e do STF para esclarecer o episódio.

A manifestação do dia 15 é resultado da fala do ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, que chamou o Legislativo de “chantagista” na semana passada. Apesar do posicionamento mais comedido do presidente, seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) escreveu em rede social: “Se houvesse uma bomba H no Congresso você realmente acha que o povo choraria?”

Ex-ministro chama iniciativa de “irresponsável”

Pelas redes sociais e por WhatsApp, apoiadores de Bolsonaro têm postado imagens de ataque ao Congresso. O general da reserva Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo, criticou a mobilização dos apoiadores do presidente. E a classificou como “irresponsável” o uso de imagens de Heleno e do vice-presidente, general Hamilton Mourão e do secretário de Segurança de Minas, general Mario Araujo.

Líderes políticos como os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso, além de congressistas, criticam a iniciativa do presidente de divulgar a convocação para o ato.

Constituição mineira faz 30 anos com o desafio de garantir a democracia

CONFIRA AQUI O VÍDEO COM O DISCURSO HISTÓRICO DE ULYSSES GUIMARÃES

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo