Kalil aguarda rivais que enfrentará daqui a 9 meses nas eleições 2020

Pré-candidato à reeleição, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), ainda não sabe o nome dos rivais que enfrentará em outubro deste ano. Tido como favorito, o prefeito já confirmou que tentará a reeleição. Confiantes na aprovação de sua gestão, aliados apostam que ele deverá ser reeleito e, a partir do 2º mandato, se preparar para disputar o governo mineiro em 2022.

De acordo com as últimas pesquisas, divulgadas pelos institutos Quaest e Paraná, em dezembro passado, Kalil lidera a corrida com cerca de 35%. Em segundo lugar, com 10 pontos a menos, surge o nome do deputado estadual Mauro Tramonte (Republicanos). Os demais pontuam abaixo de 5%.

Kalil e o "concorrente" Mauro Tramonte, em colagem de fotos Amira Hissa/PBH e Luiz Santana/ALMG

Em Minas, 15,6 mil voltam às urnas

A partir deste sábado (4), faltam exatamente nove meses para que os 15.685.446 eleitores mineiros, de 853 cidades, voltem às urnas. No dia 4 de outubro, irão escolher eleger, ou reeleger, prefeitos, vices e vereadores. Em todo o país, são mais de 146 milhões de eleitores nos 5.570 municípios brasileiros. Nos casos em que houver segundo turno, a votação ocorrerá vinte dias depois (25 de outubro).

As eleições deste ano serão apenas municipais, mas poderão incluir, em alguns casos, alguma outra consulta popular (plebiscito), ainda não prevista. Na urna eletrônica do dia 4 de outubro, primeiro aparecerá a tela para votação no candidato a prefeito. Em seguida, a do candidato a vereador.

Serão eleitos pelo sistema majoritário, um prefeito e vice por município. Pelo sistema proporcional, tantos vereadores quanto forem definidos pela Lei Orgânica de cada município. Essa definição segue os limites máximos previstos no artigo 29, IV, da Constituição da República. No caso da capital mineira, são 41. Em tese, todos podem e devem tentar a reeleição. A partir deste ano, estão proibidas as coligações proporcionais, ou seja, cada partido terá que eleger os vereadores com suas próprias forças.

Cadastro eleitoral e biometria

Os eleitores devem ficar atentos à data de fechamento do cadastro eleitoral este ano: 6 de maio. Isso significa que após esta data não será mais possível tirar ou transferir o título e fazer a biometria, para votar nas Eleições 2020. O cadastro eleitoral é fechado nesta data e só reabre em novembro.

Poderão votar nas eleições 2020 aqueles que tiverem pelo menos 16 anos na data do pleito. E o voto é obrigatório para aqueles que tiverem entre 18 e 70 anos no dia 4 de outubro. Assim, eleitores que tiverem 16 e 17 anos e aqueles com mais de 70 anos no dia da eleição não estarão obrigados a votar.

Neste ano, eleitores de 259 cidades mineiras só poderão votar por meio de identificação biométricas de seus dados. São 84 cidades onde a biometria já era obrigatória nas eleições 2018 e mais 175 que passaram (ou ainda passam) pelo recadastramento biométrico obrigatório. Nas outas 594 cidades, haverá a possibilidade de identificação biométrica e não biométrica, já que são municípios que ainda não passaram (e nem passarão, até as eleições 2020) pelo recadastramento biométrico obrigatório.

(*) com informações do site do TRE-MG

Iguais em Bolsonaro, pesquisas se opõem sobre Zema e Kalil em BH

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo