Governo Zema prevê fim do parcelamento de salários por apenas 6 meses

04.12.2019

O fim do parcelamento dos salários dos 600 mil servidores estaduais poderá acontecer em janeiro de 2020 e durar apenas seis ou sete meses. A revelação foi feita pelo secretário de Planejamento do Estado, Otto Levy, em audiência pública na Assembleia Legislativa.

 

Ele participou da reunião da Comissão de Minas e Energia que discutiu mudanças no projeto do governo, que autoriza a venda de créditos do nióbio. Por meio desse projeto, o governador Romeu Zema (Novo) pretende pagar o 13º salário integral a todos os servidores e extinguir o parcelamento de salários.

 

Os deputados Guilherme da Cunha (Novo) e João Vítor Xavier (Cidadania), foto Flávia Bernardo/ALMG

 

O secretário ressalvou, no entanto, que não há garantias de que o parcelamento não possa retornar. “É suficiente para acabar com o parcelamento de salários por seis ou sete meses, até junho ou julho do ano que vem”, afirmou o secretário. Ele prevê que o estado arrecade de R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões com a venda dos créditos pelos próximos 12 anos sobre o mineral. Essa reserva do nióbio pertence à Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais).

 

Decisão dependeria do ajuste fiscal


Otto Levy disse que o fim definitivo do parcelamento dependerá das medidas vinculadas ao Regime de Recuperação Fiscal. Esse programa é do governo federal pelo qual o governo mineiro deseja aderir. Proposta nesse sentido já foi protocolada na Assembleia e será apreciada no ano que vem. Polêmica e complexa, a medida sofrerá resistências entre os deputados pelas condições impostas pelo governo. Deputados veem a vinculação como uma pressão antecipada sobre a decisão futura da Assembleia.

 

Para aderir ao programa, ela impõe venda de todas as empresas estatais e congelamento de salários e de promoções. Em troca, suspende o pagamento da dívida de cerca de R$ 100 bilhões de Minas junto à União. Essa dívida impõe, hoje, pagamento do serviço no valor de R$ 500 milhões mensais, que está suspenso judicial e liminarmente. Uma das condições da decisão judicial é que Minas resolva a situação no médio prazo. Daí a intenção de renegociar a dívida por meio da recuperação fiscal.

 

Codemig é o primeiro alvo de privatização


Apesar do apoio financeiro da estatal, com solução para o 13º salário, a Codemig é a 1ª que Zema está colocando à venda em 2020. Projeto com esse objetivo já foi apresentado à Assembleia Legislativa, mas sua apreciação ficará para o ano que vem. A Cemig e a Copasa também estão no páreo.

 

Assembleia vota nesta quarta (4) projeto do 13º salário


Nesta quarta, a Assembleia Legislativa votará, às 10 horas, o projeto do nióbio na forma de substitutivo (mudanças no projeto original). A votação é final e em segundo turno. As alterações foram apresentadas pelo deputado João Vítor Xavier (Cidadania) e aprovadas nesta terça (3) na Comissão de Minas e Energia. 

 

O substitutivo não altera o teor do projeto nem atrasa a possibilidade de pagamento do 13º aos servidores neste ano. Elas trazem segurança e garantia jurídicas e evitam prejuízos bilionários ao estado.

 

As mudanças garantem que pendências judiciais do estado devem beneficiar diretamente ao estado e não ao comprador dos créditos do nióbio. Uma delas refere-se à disputa judicial do estado com a CBMM (Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração) pelos valores da exploração do nióbio. A outra se trata da cisão da Codemig em duas empresas: a Codemig e a Codemge (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais). Se a cisão for revista, por exemplo, já que foi reprovada por órgão federal, haverá mais 51% do nióbio de propriedade do estado e não do comprador dos créditos.

 

Assembleia muda projeto do 13º de Zema para evitar prejuízo bilionário

 


 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

MAIS LIDOS

Anastasia descarta assumir vaga em Ministério

15.03.2017

1/4
Please reload

RECENTES
Please reload

ARQUIVO
Please reload

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo