Ex-governador Pimentel aponta insuficiência de provas

Todos os réus apresentaram suas defesas preliminares, mas a maioria foi rejeitada. O ex-governador Fernando Pimentel alegou que a denúncia se tratava de mais uma investigação oriunda dos depoimentos dos corréus colaboradores que, nesse processo, são quatro e com diversidade de versões, razão pela qual sustentou insuficiência de provas. Garantiu, ainda, que “jamais ordenou ou concordou com a prática espúria do caixa 2 e tampouco se valeu da sua condição de ministro para beneficiar indevidamente empresários em troca de auxílio em sua campanha eleitoral”. Conclui dizendo que aguarda a instrução processual para, ao final, comprovar a inocência.

Juíza aponta documentos e delações

Ao rejeitar as defesas preliminares do ex-governador Fernando Pimentel, a juíza argumentou que os fatos delituosos narrados na denúncia se encontram corroborados em prova documental, como notas fiscais, planilhas, documentos eletrônicos além dos termos de colaboração premiada. Além disso, a magistrada determinou a citação dos denunciados, para responderem à acusação no prazo comum de 10 dias.

FOTO REPRODUÇÃO SITE BHAZ: O empresário Benedito Rodrigues, Bené, é um dos delatores

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo