Sinjus contesta, e TJMG divulga proposta de pagamentos

20.03.2019

Em greve desde a terça (19), o Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª Instância do Estado de Minas Gerais (Sinjus) contestou nota aqui publicada segundo a qual os servidores que representa seriam os mais bem pagos do estado. Para isso, recorreu ao diagnóstico da Comissão de Transição do Governo de Minas, que diz que a média salarial dos servidores do Poder Judiciário (aqui incluídos os servidores de 1ª instância, que não aprovaram a greve) é de R$ 10,8 mil, que é 2,3 vezes maior que a média salarial dos servidores do Poder Executivo (R$ 4.688,11) e 1,53 menor do que os do Legislativo (R$ 16,7 mil).

 

Ainda em sua nota, a direção do sindicato se diz indignada com o parcelamento dos servidores do Executivo e que não vê, nessa situação, razões para abrir mão de seus direitos de reivindicar e fazer greve.

 

Informou também que a decisão pela greve “teve como objetivo conseguir o cumprimento da Lei Nº 18.909/2010 por parte do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que há dez meses se recusa a iniciar negociações referentes à Data-Base de 2018 e também se nega a implementar o auxílio-saúde (de R$ 200 a R$ 300) e transporte (R$150), conforme a Lei Nº 23.173/2018”.

 

Aqui a contestação vem da direção do TJMG, que rebateu, com veemência, que não estaria aberta à negociação. Em breve histórico, apontou 18 reuniões com as entidades sindicais, em sete meses da atual gestão, para justificar a valorização dos servidores. Sobre as reivindicações feitas, enviou ofício ao Sinjus, informando que “as parcelas restantes do pagamento retroativo da data-base de 2017 serão extraordinariamente  antecipadas para os meses de maio, agosto e novembro do corrente ano e que até o mês de maio próximo, sob a mesma condicionante de se confirmarem as previsões de arrecadação e repasses duodecimais, irá implantar o auxílio-saúde, instituído pela Lei 23.173/2018, com pagamento significativo das parcelas retroativas a ele correspondentes”.

 

O Sindicato dos servidores da 1ª Instância (Serjusmig) e o dos oficiais do Tribunal (Sindojus/MG) não aderiram à greve.

 

FOTO SITE SINJUS: Grevistas fazem manifestação diante da sede do TJMG

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

MAIS LIDOS

Anastasia descarta assumir vaga em Ministério

15.03.2017

1/4
Please reload

RECENTES
Please reload

ARQUIVO
Please reload

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo