Zema recontrata cerca de mil demitidos para evitar paralisia

15.01.2019

Nos últimos dias, o governador Romeu Zema (Novo) vem desfazendo o malfeito que exonerou 6 mil servidores comissionados numa canetada em seu primeiro ato administrativo. Sob o argumento de enxugar a máquina, o fez sem critério e planejamento, ao contrário do que seria se o fizesse nos primeiros 100 dias de governo. As demissões em massa acabaram, claro, afetando o funcionamento da máquina e dos serviços públicos.

A partir daí, Zema vem reconduzindo funcionários aos seus cargos. Além da área da Cultura, as reconduções ocorreram nas secretarias de Meio Ambiente, Saúde, Governo, Educação, Planejamento, Agricultura, Controladoria-Geral, Ouvidoria-Geral e Advocacia-Geral do Estado.

Na sexta-feira (11), ele havia cancelado a demissão de 47 servidores do Meio Ambiente, outros 35 funcionários da Fundação Clóvis Salgado, 18 do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), 36 da Rede Minas e quatro na Secretaria de Estado de Cultura.

A maior parte das recontratações foi feita no sábado (12), com o retorno de 298 funcionários. Ficaram fora da canetada, os policiais civis e militares, bombeiros, funcionários da área hospitalar (da Fhemig), da Funed (Fundação Ezequiel Dias) e Hemominas.

Quase mil servidores dispensados foram reconduzidos a seus cargos, cerca de 15% do total de 6 mil demitidos. A partir desta semana, o governo deverá viver outra dinâmica, com a normalização dos serviços. Também, nesta segunda (14), começou o pagamento da primeira parcela de salários, que só terminará no dia 28, para desespero dos funcionários que, há quase três anos, recebem de maneira parcelada. Sobre o décimo terceiro, ainda não há notícia.

 

Acordo com prefeitos, via AMM

 

No caso dos municípios mineiros, o governo pôs em dia os repasses e prometeu não atrasar mais. Nesta terça (15), será o teste. Sobre o atrasado, R$ 12,5 bilhões, referentes aos repasses atrasados e não repassados no governo Fernando Pimentel (PT), fará uma escala negociada com os prefeitos. Tudo isso de acordo com Associação Mineira dos Municípios (AMM), que está dando voto de confiança ao novo governo.

 

FOTO GIL LEONARDI/ IMPRENSA MG: Zema visita unidade da Apac (presídio alternativo) de Itaúna (Oeste mineiro)

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

MAIS LIDOS

Anastasia descarta assumir vaga em Ministério

15.03.2017

1/4
Please reload

RECENTES
Please reload

ARQUIVO
Please reload

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo