TRE arquiva cassação: disputa volta ao campo político e eleitoral

Pelo placar de seis a zero, por duas vezes, o Tribunal Regional Mineiro (TRE) arquivou duas ações do PSDB que pediam a cassação do governador Fernando Pimentel (PT) a sete meses do fim de seu mandato. Com isso, o duelo tucano-petista ficou afetado na esfera judicial com a decisão do TRE de considerar, nesta quinta-feira (24), improcedentes os dois pedidos por supostas irregularidades na campanha para o governo de Minas em 2014.

Na ação de investigação judicial eleitoral, proposta pela coligação liderada pelo PSDB, Todos por Minas, foi alegado o uso da máquina pública federal, pela Presidência da República, em favor de Pimentel e de seu vice, Antônio Andrade (MDB). Para o relator do processo, desembargador Pedro Bernardes, não foram produzidas provas robustas que confirmassem a existência de ilícitos eleitorais. O voto foi seguido na íntegra pelos demais juízes.

No outro processo, da coligação tucana, tinha como acusação a captação ou gasto ilícito de recurso financeiros na campanha, a partir da extrapolação em mais de R$10,1 milhões do limite de gastos de campanha, definido como de R$ 42 milhões. Também foi rejeitada pela Corte Eleitoral.

FOTO CLAUDIA RAMOS/CCS TRE MINEIRO: Corte Eleitoral arquivo pedidos de cassação contra o petista

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo