AMM acusa retaliação e perseguição do governo

O presidente da AMM e prefeito de Moema (centro-oeste), Julvan Lacerda, denunciou o que chamou de perseguição política, por parte do governo mineiro, sobre a investigação que faz a Polícia Civil de possível esquema de fraude em licitações na prefeitura que dirige. No dia 23 passado, a polícia esteve no prédio da prefeitura para cumprir mandados de busca e apreensão de materiais para investigar a suposta irregularidade.

Segundo a polícia, haveria indícios de que licitações com empresas de asfalto, eventos e serviços que estariam em desacordo com a Lei. Foram apreendidos diversos documentos na Prefeitura, que serão analisados pelos policiais em Belo Horizonte.

Como presidente da AMM, Julvan Lacerda avaliou o episódio como retaliação por conta da defesa intensa que faz das prefeituras contra atrasos consecutivos nos repasses constitucionais de recursos aos prefeitos. “Não será uma ação politiqueira, baixa e medieval que me fará parar ou calar na defesa dos municípios”, advertiu Julvan em vídeo divulgado em Moema. Nessa quinta, 24, ele tomou posse, em Brasília, como 1º vice-presidente da Confederação Nacional dos Municípios, durante a Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, deixando Minas com forte representação no movimento municipalista nacional. Governo não se manifestou sobre o caso.

FOTO ASCOM/AMM: Julvan toma posse em Brasília

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo