Dois secretários deixam governo para tentar reeleger Pimentel

Semana derradeira e decisiva para muita gente do governo mineiro e também do federal. Está chegando o dia 7 de abril, prazo final para quem está em cargo público e pretende disputar as eleições deste ano. E também para aqueles que optaram por mudar de partido ou se filiar a algum para a mesma disputa. A partir daí, dessas definições, teremos um cenário mais próximo daquele que poderá acontecer nas eleições. Se ainda havia dúvida no ar sobre o futuro do governador Fernando Pimentel (PT), não há mais: ele deverá ficar mesmo no cargo e disputar o governo novamente. Está tudo preparado para isso. Tanto é que deixam o governo nesta semana, até sábado (7), o seu braço direito, o secretário de governo, Odair Cunha; para quê? Não para disputar a eleição, mas para ser o coordenador político da campanha de Pimentel, o que confirma a recandidatura do governador. Com isso, encerram-se as especulações de que o governador poderia deixar o cargo para tentar o Senado. Outros três saem: Miguel Correa, da Ciência e Tecnologia, para tentar vaga de deputado estadual; Pedro Leitão deixa a Agricultura para buscar vaga de federal (Câmara dos Deputados) e Eduardo Serrano, secretário-geral da Governadoria, Eduardo Serrano, que deverá ir para a campanha de Pimentel também. Quanto às filiações e migrações partidárias, não devem acontecer outras de grande repercussão, além das que já aconteceram, como as do deputado federal Rodrigo Pacheco, que trocou o MDB pelo DEM, com a pretensão de disputar o governo, e de Diniz Pinheiro, que filiou-se no Solidariedade com o mesmo propósito. Entre os tucanos, a entrada do senador Antonio Anastasia, como pré-candidato a governador pelo PSDB, segurou a debandada que ameaçava o futuro do partido.

Plano federal

No plano federal, o presidente Michel Temer empossou hoje os novos ministros da Saúde e dos Transportes e o novo presidente da Caixa Econômica Federal, cujos titulares deixaram os cargos para disputar novo mandato em outubro. Na Saúde, sai Ricardo Barros (PP) e entra Gilberto Occhi, enquanto Valter Casimiro Silveira assumirá Transportes na vaga de Maurício Quintella (PR). Com a saída de Occhi do comando da Caixa Econômica Federal, assume o vice-presidente de Habitação da instituição, Nelson Antônio de Souza. Pelo menos, outros 10 nomes serão exonerados nesta semana. Ainda devem deixar o governo os ministro do Turismo, Marx Beltrão, e da Educação, Mendonça Filho. Também existe a expectativa sobre a saída dos ministros do Desenvolvimento Social, Osmar Terra; de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho; da Integração Nacional, Helder Barbalho, e do Esporte, Leonardo Picciani.

FOTO SITE BHAZ Secretários Odair Cunha (Governo) e Miguel Correa (Ciência e Tecnologia)

video sonegação2.png
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo