Em 2ª carta, prefeitos apelam a Pimentel por dinheiro

Em novo apelo, e pela segunda vez consecutiva em dois meses, a Associação Mineira dos Municípios (AMM) enviou, nesta terça (28), outra carta ao governador Fernando Pimentel (PT), com selo de caráter de urgência, para que ele pague as dívidas com os municípios mineiros no valor de R$ 3 bilhões. “A situação está insuportável e são diárias, junto à AMM, as centenas de reclamações dos prefeitos e prefeitas com a falta de compromisso deste governo com os repasses financeiros que são, por direito, dos municípios”, disse o presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda (PMDB). “A realidade é essa. Não a realidade da propaganda do Governo de Minas, que evidencia diálogo, equilíbrio e trabalho. Os prefeitos e prefeitas pedem socorro. Queremos soluções já!”. A primeira carta foi enviada ao governador no dia 27 de setembro, mas, segundo a entidade, não houve resposta. De acordo com a Associação, o governo mineiro deve, hoje, um total de R$ 496,4 milhões de Imposto de Circulação de Mercadora e Serviço (ICMS). O valor bruto inclui o Fundeb (O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), também retido pelo Estado, o que agrava a crise vivida pelos prefeitos.

Após cobranças da AMM e reuniões com o Governo, os avanços foram mínimos. “A revolta é grande entre os gestores municipais, com centenas de reclamações diárias deles junto à AMM”, advertiu o dirigente, que, na carta, apontou também os atrasos no transporte escolar, no valor de R$ 160 milhões, e nos serviços de saúde pública, que chegam a R$ 2,5 bilhões. FOTO reprodução: Segunda carta enviada ao governador pelos prefeitos

pecas_ead_blog_do_orion ouyt 21.png
MAIS LIDOS
RECENTES
banner amm 15 de junho 2020.png
ARQUIVO