Governo federal pode adotar proposta da CDL/BH para evitar sanções às empresas

Tão logo iniciaram-se as medidas de isolamento social adotadas pelos governos municipal, estadual e federal em razão da pandemia do novo Coronavírus, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) ampliou o diálogo com todas as instâncias do Poder Público. O objetivo no sentido de apresentar as demandas dos setores de comércio e serviços da capital mineira, responsável pela maior parte dos empregos gerados e pela maior parcela do Produto Interno Bruto (PIB) de Belo Horizonte. O presidente do CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, faz campanha contra o coronavírus, foto Leonardo Vinicius Mello Cunha Uma das medidas solicitadas ao governo federal foi o adiamento da entrada em vigência d

Efeito Coronavírus piora avaliação de Bolsonaro, apontam 2 pesquisas

Para 41% dos brasileiros, o Brasil está piorando, segundo a pesquisa digital feita pela empresa Quaest Consultoria e Pesquisa entre os dias 19 e 23 de março. A medição foi feita por duas vezes em um mesmo mês em função do impacto avassalador da chegada da epidemia do coronavírus. De 3 de março, que era de 38%, até o dia 19, a avaliação do brasileiro foi afetada. Para outros 29% (eram 27%), o país está parado. Outros 26% consideraram que está melhorando; eram 33%. Em queda: dois institutos apontam perda de avaliação, foto Marcos Corrêa/PR A piora não foi efeito só do novo vírus e seu poder de destruição, mas há relação direta com a avaliação do governo de Bolsonaro. No mesmo período, a desapr

Zema obtém amplos poderes com aviso prévio de que o poder tem limites

Zema obteve autorização para gastar contra o coronavírus, por meio da aprovação de seu decreto de calamidade pública na Assembleia Legislativa nesta quarta (26). Receber essa delegação é também assumir responsabilidades emergenciais em defesa da vida. Obteve autorização legislativa, mas os deputados fizeram três mudanças no decreto que limitam os amplos poderes do governador. Confira no meu comentário, para a TV Band, sobre o tema e o isolamento de Bolsonaro, embora, como ele mesmo atesta, não tenha sido infectado pelo coronavírus. Assista aqui Os jornalistas Inácia Soares e Orion Teixeira, pela TV Band Minas, reprodução Facebook

Assembleia reduz amplos poderes de Zema em decreto para combater pandemia

Os deputados estaduais aprovaram, nesta quarta (25), o decreto de calamidade pública do governador Romeu Zema (Novo) para combater a pandemia do coronavírus. Na votação que foi remota, a primeira da história do Legislativo estadual, fizeram três alterações na proposta original, reduzindo os amplos poderes dados ao governador nessa situação de gravidade. Agostinho Patrus preside sessão virtual histórica na Assembleia Legislativa, foto Guilherme Bergamini/ALMG A primeira mudança reduziu o tempo de validade do decreto, de 31 de dezembro para 20 de julho. Se precisar de mais tempo, caso a epidemia não seja controlada até lá, o governador terá que enviar novo pedido e justificativa à Assembleia.

Votação remota dá amplos poderes a Zema para combater pandemia

Pela primeira vez, de modo remoto e virtual, a Assembleia Legislativa fará, nesta quarta (25), votação a distância por conta da pandemia do coronavírus. Será episódio histórico como também deve ser histórica a votação. Os deputados aprovarão, com certeza, ante a gravidade do momento, um decreto de calamidade pública até o final do ano. O decreto da forma como veio é quase que um cheque em branco para o governador Romeu Zema (Novo). Dá amplos poderes a ele para adotar, sem limites, os esforços e reforços em favor do combate ao coronavírus. Presidente da Assembleia, Agostinho Patrus, testa votação remota, foto Daniel Protzner/ALMG É o que tem que ser feito, mas também será importante estabelec

Ministério da Saúde adverte: Bolsonaro faz mal à saúde pública e aos brasileiros

Sete dias antes das várias manifestações dos brasileiros nesta noite de terça (24), um haitiano sereno já tinha dito: “Acabou, Bolsonaro”, disse ele friamente, sem qualquer exclamação na porta do Palácio do Planalto. Menos inusitada do que verdadeira, a fala de menos de um minuto do haitiano, que não sabemos o nome, expôs uma crua realidade: “Você não é presidente mais”, disse a um perplexo presidente. “Não estou entendendo”, replicou Bolsonaro, mas deu ruim. O haitiano foi cirúrgico, “está entendendo sim, porque estou falando brasileiro”. Bolsonaro grava pronunciamento (Isac Nóbrega/PR) VEJA AQUI: vídeo no qual haitiano diz a Bolsonaro que ‘Acabou. Não é presidente mais’ E o haitiano tinha

Taxar super-ricos poderia render R$ 116 bilhões para enfrentar epidemia

Em vez de cortar salários dos trabalhadores, o presidente Jair Bolsonaro poderia criar imposto para os super-ricos, que, juntos, acumulam fortuna de R$ 1,2 trilhão. Com a taxação de apenas 3% sobre o montante, seria possível arrecadar R$ 36 bilhões, valor superior ao orçamento de 1 ano do Bolsa-Família. E mais, se taxasse em só 1% o patrimônio das famílias mais ricas, a receita poderia chegar a R$ 80 bilhões. Somados, renderiam R$ 116 bilhões aos cofres públicos a mais para enfrentar os efeitos da pandemia do coronavírus. Reunião da Fenafisco com entidades parceiras, foto site do Fenafisco A proposta foi formalizada, na segunda (23) por um conjunto de entidades lideradas pela Federação Nacio

Funerária se precipita e vincula dezenas de mortes à epidemia

Uma funerária do Grupo Zelo se precipitou e fez confusão com diagnósticos de causa mortis com sintomas do Covid-19. O susto dos funcionários gerou onda de boataria que levou a PM ao local para registrar ocorrência policial. Segundo o boletim, nº 2020-014516905-001, de domingo às 21h56, a funerária, localizada no bairro Nova Gameleira (Oeste de BH), teria recebido 73 corpos em 48 horas. Ainda no relato, consta que a maioria deles apresentava diagnóstico relacionado à epidemia do coronavírus. Fachada do Grupo Zelo em Belo Horizonte, foto site do HVC A confusão foi provocada pelo desconhecimento dos funcionários com o novo protocolo em função da pandemia do coronavírus. Com as novas regras, des

Presidente adota campanha nacional contra o coronavírus, mas lá na Argentina

Ao contrário do governo brasileiro, a Argentina se mobilizou para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Na quinta (19), o presidente Alberto Fernández anunciou quarentena para todo o país até o dia 31 de março mesmo com a crise econômica. O argentino disse que o “isolamento é a forma de salvar” a vida nestes tempos de covid-19. Mulher passa por cartaz do governo argentino pedindo à população que não saia às ruas, foto Juan Mabromata/AFP (AFP) “Todos os argentinos devem ficar em casa. Ninguém precisa entrar em pânico. Ainda estamos em tempo de controlar essa pandemia. Quem não puder justificar sua presença na via pública será punido”, disse o presidente argentino. Adiantou que forças de s

CDL/BH aprova medidas do governo, mas rejeita burocracia

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) avaliou positivamente a liberação de R$ 55 bilhões na economia pelo BNDES. A medida foi anunciada, neste domingo (22), com o objetivo mitigar os efeitos do coronavírus no ambiente econômico interno, principalmente para as micro e pequenas empresas. Bolsonaro conversa, pelo celular, com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, sobre liberação de recursos, twitter.com de Bolsonaro A inserção de R$ 30 bilhões para crédito, com suspensão de seis meses de pagamento e de juros ajudará as empresas. Especialmente, as empresas que fizeram operações direta (empresas que pegaram empréstimos diretamente pelo BNDES) e indiretas (empresas que peg

Minas e 26 estados pedem socorro a Bolsonaro e avisam que não há tempo a perder

No momento em que o próprio presidente Bolsonaro põe em xeque as ações emergenciais contra o avanço do coronavírus, os secretários estaduais de Fazenda fazem apelo dramático. Em ofício enviado ao governo federal, no sábado (21), os secretários alertam para a gravidade do momento, advertindo para dois requisitos importantes: recursos e tempo. “A fragilidade das cidadanias em jogo não conhece mais tempo a perder”, pontuaram. Eles estão alarmados com a “informação oficial de que o sistema irá entrar em colapso em abril”. Gustavo Barbosa (secretário de Estado de Fazenda de Minas) assinou documento de alerta ao governo federal, foto Clarissa Barçante/ALMG O documento é assinado pelos 27 secretári

Coronavírus faz a 1ª vítima na política mineira com risco a todos

Sem sensacionalismo, o contexto permite a avaliação apreensiva e até aflita ante a escalada do coronavírus. Em vez de preparar, organizar a nossa escalada de combate ao inimigo comum, que é a epidemia, assistimos à troca de farpas e de ofensas entre políticos e governantes. Ao lado de medidas importantes, adotadas quase que isoladamente, surgem brigas desnecessárias e estéreis. Como exemplo, a que envolveu o governador Romeu Zema (Novo) e o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). Kalil e Zema rompem por conta dos efeitos do coronavírus, foto Divulgação e Pedro Gontijo/Imprensa MG A primeira vítima, nesse confronto, é a política mineira. Junto dela, foram o foco e a necessária uniã

Senador mineiro comanda 1ª e histórica sessão virtual no Senado que aprova calamidade pública

O senador Antonio Anastasia (PSD/MG) assumiu a presidência do Senado em sua 1ª e histórica sessão virtual nesta sexta (20). O mineiro é vice-presidente, mas assumiu a presidência interinamente porque o presidente Davi Alcolumbre (DEM/AP) foi infectado pelo Coronavírus. Senadores votam projeto remotamente pela primeira vez, foto Jane de Araújo, Agência Senado Na votação, o Senado aprovou, com quorum de 75 senadores, por unanimidade, o projeto de decreto legislativo (PDL 88/2020). Pelo projeto, fica reconhecido que o país está em estado de calamidade pública por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). Adotada por precaução à epidemia, a votação foi considerada um sucesso pe

AMM mobiliza prefeitos para decretar emergência e endurecer contra epidemia

Em ofício a todos os prefeitos, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, recomendou a adoção de estado de emergência no combate ao coronavírus. Segundo Julvan, o decreto dos prefeitos deverá estar alinhado às medidas da deliberação publicada pelo governo estadual, para que o novo vírus não chegue com força nas cidades no interior. “Vamos alinhar com as deliberações do governo, para podermos padronizar as ações no estado e seguirmos as medidas adotadas”, reforçou. Julvan Lacerda, presidente da AMM, convoca os prefeitos, foto site AMM Também foi solicitado pelo presidente da AMM que a Polícia Militar dê o suporte necessário às administrações municipais no cumprim

Em vez de aliança, coronavírus piora relação e provoca rompimento entre Kalil e Zema

Durou menos de 24 horas o apelo do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), de união política com o governador Romeu Zema (Novo) no combate à ameaça do coronavírus. Na terça, Kalil havia postado mensagem pelo Facebook chamando os prefeitos da região metropolitana para ser unirem sob a liderança do governador. “O vírus não tem partido”, alertou o prefeito, elogiando ainda medidas que Zema teria adotado como fechamentos de bares e restaurantes. No dia seguinte, o próprio Kalil voltou às redes sociais, desta vez, em sua conta no Twitter para criticar o recuo do governador sobre essa medida. De acordo com assessores do prefeito, não teria efeito fechar só na capital, e não nas cidades

CDL/BH faz 12 questionamentos sobre decreto de Kalil que fecha “centros de comércio”

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) enviou ao prefeito Alexandre Kalil (PSD), nesta quinta (19), ofício questionando o decreto para deter o avanço do coronavírus. A medida afetou os chamados “centros de comércio”, mas deixou lacunas que dificultaram o pleno entendimento. O decreto municipal determina a suspensão das atividades, a partir desta sexta (20), de shoppings, centros comerciais, feiras, bares, restaurantes e afins. No ofício, o presidente da CDL, Marcelo de Souza e Silva, questiona, entre outras coisas, o significado da expressão “centros de comércio”. Desde a edição da medida, na quarta (18), a entidade recebeu de todos os setores produtivos da cidade inúmer

CNM e AMM adotam plano emergencial a municípios contra epidemia

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) e a Associação Mineira dos Municípios (AMM) enviaram ao Governo federal, na quarta (18), o Plano de Apoio Emergencial aos Municípios. A medida foi tomada diante da enorme preocupação com prejuízos de ordem social e econômica por conta da epidemia e para o enfrentamento ao coronavírus. Glademir Aroldi, presidente da CNM, e Julvan Lacerda, presidente da AMM e vice da CNM A AMM buscará o apoio dos parlamentares mineiros para a efetivação das medidas. O presidente da AMM, 1º vice-presidente da CNM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, destacou a importância dessas medidas para a manutenção dos serviços essenciais à população. A intenção é conseguir aten

foto fenafisco dia do servidor2.jpg
banner amm 15 de junho 2020.png
dia%20do%20servidor_edited.jpg
epraja_blog orion (2) agosto 20.jpg
MAIS LIDOS
RECENTES
ARQUIVO
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 por Infograffo